quinta-feira, 5 de abril de 2012

Oscar Culmann, Cristo e o tempo resumo.



Rosino Gibelline, 2ª edição, Edições Loyola. Pag 255-257


A guerra já havia terminada, com derrota para os países do eixo, que neste caso a Alemanha esta incluída nos países do eixo, na primavera do mês de maio de 1945, é dada por acabada a guerra a nível mundial. A Alemanha esta em escombros, os bombardeios das forças aliadas arrasaram quase toda a Alemanha.
A guerra é o pano de fundo e nesta época esta a todo o vapor a teologia existencialista de Bultmann tinha feito o seu Manifesto da demitização que data de 1941 o ápice deste debate se dá de 1942-1952
Oscar Cullmann nasceu em Strasbourg, cidade que faz fronteira com a Alemanha, em 25 de fevereiro de 1902 (http://pt.wikipedia.org/wiki/Oscar_Cullmann)
Culmann lança um livro que tem por tema “Cristo e o tempo” (1946)
Os conteúdos deste livro trás a busca de um elemento central na mensagem cristã, e a conclusão é essa; "DEUS se revela em uma história de salvação" Teologia do século XX pág 256, Gibellini, Rosino
Nesta busca de um “elemento central”(das zentrale) o entendimento de Culmann, ele quer individualiza o núcleo da essência dentro do cristianismo, ele percorre o mesmo caminho de Harnack em “A essência do cristianismo” de 1900, Culmann tem um trunfo em suas mãos ele havia recebido instruções em a teologia da dialética, dentro de um ensaio de 1928, na exegese de A espistola aos romanos (1922) de Khal Barth, Culmann diferentemente de Harnack ele se aprofunda no método histórico-filosófico no qual defende que a mensagem neotestamentária, é um texto religioso, nascido na fé e contém a mensagem do cristianismo primitivo
Culmann cria um subtítulo, que trás o seguinte “A concepção do tempo e da história no cristianismo primitivo” Culmann contextualiza os fatos da salvação dentro de um cronograma
“Cristo e o tempo”
Os fatos que trazem a salvação é kairói, no caso um tempo propício escolhido por DEUS para alcançar o homem com sua soberana salvação
Culmann cria uma linha no tempo que começa da criação à parusia (Criação_________Cristo____________parusia)= história da salvação.
Culmann defende que não estamos em uma concepção grega de tempo que no caso é cíclica, ou seja, um ciclo é algo que esta sempre sendo repetida, no caso a bíblia vai à contra mão deste pensamento grego, pois ela tem uma concepção de uma linha reta, ou seja, contínua, Culmann ele incrementa algo a esta linha retilínea em que a história esta embutida nela e se move através dela, ele defende que esta linha não esta totalmente reta, mas ela esta em um sistema ondulado, e às vezes aparecem grandes desvios
Segundo Culmann o judaísmo tem uma linha do tempo, mas com um detalhe, ela não possui um centro, ele defende que a concepção neotestamentária é que a linha do tempo tem um centro e que este centro é Cristo, da linha que sobe do tempo, ele é o Kairós, onde se completa o tempo anterior e se decide o tempo por vir.
O cristianismo sabe muito bem da tensão entre um “já” e um “ainda não”, entre um “já realizado” e um “não ainda plenamente realizado” na cultura grega não se conhece a espera, já em contrapartida o judaísmo vive somente de esperança...
 A tensão defendida por Oscar Culmann é comparada a uma batalha (já que ele viveu e escreveu a sua obra em meio à guerra 1944-1945) "o centro foi alcançado, mas o fim ainda esta para vim". Oscar Culmann defendia baseado na guerra que a batalha geralmente ela já é decidida no começo da mesma, ainda que ela venha perdurar por anos, mas o alcance decisivo já aconteceu, embora se espere o dia da vitória ela já esta decidida, dentro deste contexto da guerra ele defende que o "acontecimento irresistível de Cristo" como se realizou na cruz e na sua ressurreição, tem uma representação muito forte, Cristo já deu o golpe decisivo no Diabo, no pecado, a batalha já esta ganha, o Reino de DEUS já se deu início com estes eventos, mesmo que o dia da vitória não tenha chegado e esta reservado para o dia da sua parusia a esperança do crente já se encontram garantidas nos eventos cristológicos do passado.
“A linha do tempo pertence, pois a Cristo: Ele é antes do início, foi crucificado ontem, reina agora, invisível, e voltara no fim dos séculos”. Todas essas imagens constituem uma única imagem, a do Cristo que exerce sucessivamente no kairoí as suas funções histórico-salvíficas. Por isso, "a linha do tempo é Cristo".  Todos os kairoi (tempo de DEUS) constitui a história da salvação.
   O kairoi (tempo de DEUS) que constitui o centro, é o caráter de aphapax (de acordo com a terminologia da carta aos hebreus).
   O evento de Cristo na cruz e na ressurreição se deu uma vez por todas e é decisivo para sempre, para toda a linha da história da salvação, da qual constitui o centro
   O que se passou na história da salvação tornou-se a preparação para acontecimento central de Cristo; o futuro será a plenitude do acontecido; o agora leva ao passado e ao futuro, de acordo com a dialética do "já" e do "ainda não" da batalha decisiva e do dia da vitória.
Dentro do ponto de vista cronológico (tempo, que se segue a ordem em que algo aconteceu) como do conteúdo a escatologia e destronada.
Significando com isso que o kairoi (tempo de DEUS) sobe para o futuro da realização final, tendo um centro situado no passado; com isso o resultado que  esta vindo já foi decidido nos acontecimentos passados
A linha da história da salvação se comparada com a linha da história do mundo, ela é frágil, tornando com isso um paradoxo, pois mesmo em sua fragilidade com volume de fatos é ela quem interpreta e salva a história do mundo.
    A história do mundo ela acontece fora da história da salvação, mas ao mesmo tempo ela é destinada a ser de uma forma que comece perto e se estenda ao longe influenciada pela história da salvação e inserida nela.
   A história do mundo se faz  de pano de fundo para a história da salvação na medida em que Cristo é o SENHOR do tempo e é o centro de toda a realidade temporal
   A história da salvação não é uma história do lado da história mas acontece na história e faz parte dela...

Um comentário:

  1. Não encontro este Livro em lugar nenhum. Você tem ele em português?
    vsoaresasilva@hotmail.com, por favor, aguardo um retorno.

    ResponderExcluir